Sara Santos

Sobre a inflação

Os últimos dias do verão em Portugal foram marcados pelas medidas anunciadas e a discussão em torno da inflação. As medidas anunciadas foram tardias. Enquanto a maioria dos países da Europa anunciava medidas nos primeiros seis meses do ano, Portugal deixou para setembro o anúncio e implementação de medidas sobre a inflação. Foram claro medidas tardias que pecam por uma não prevenção de um problema que atinge em peso as famílias em todo o país. Este pacote de medidas não chega para compensar o aumento do custo de vida e os gastos essenciais que cada cidadão e cidadã tem de fazer no seu quotidiano. Os 125 euros atribuídos a cada pessoa com um salário abaixo dos 2700 euros ao mês é irrisório para quem já perdeu grande parte dos seus rendimentos devido ao aumento do preço e custo de vida. O aumento extraordinário das pensões é apenas um adiantamento do aumento que cada pensionista teria direito em 2023.  É necessário garantir que os salários sobem em linha com a inflação e introduzir mecanismos de controlo de bens essenciais. O governo pode intervir sobre as margens de lucro para impedir que a inflação suba ainda mais. Estas medidas e mais algumas não são recentes, existem propostas nesse sentido há meses que foram sendo adiadas até ao presente mês. É por demais urgente garantir que a crise que se avizinha não tenha consequência ainda piores, que irão afetar sobretudo as famílias mais pobres e carenciadas do país.

Últimas Notícias

Entrevista a Pinto da Costa

19/04/2024

Entrevista a Nuno Lobo

19/04/2024

Entrevista a André Villas-Boas

19/04/2024

39ª EDIÇÃO DO FETAV COMEÇA A 6 DE ABRIL

2/04/2024

Universidade Sénior de Gondomar já é maior de idade

27/03/2024

CMOS COMEMORA PRIMEIRO ANO E BATE RECORDE NO TEMPO DE DESPACHO DE MEIOS

26/03/2024

EUROBOL TRAZ A GONDOMAR VÁRIAS EQUIPAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

26/03/2024

Walking Football um desporto que combate o isolamento

26/03/2024