Concelho de Gondomar Destaque

Gondomarenses representaram as cores nacionais no Bicampeonato Europeu 

A seleção nacional de hóquei em patins tanto no feminino como no masculino foi representada por quatro nativos de Gondomar. A sensação de terem sido campeões europeus é algo que os orgulha e os motiva para continuar neste trajeto e fazer mais e melhor. Apesar de acharem que a modalidade não é reconhecida devidamente pelos media nacionais, acreditam que com esta vitória isso possa vir a mudar. O VivaCidade esteve à conversa com estes jovens promissores que tanto orgulham o seu concelho. 

Beatriz Silva

Comecei com 10 anos no Fânzeres porque a minha tia era guarda-redes de hóquei também nesse clube e quis que eu experimentasse a modalidade e acabei por gostar. Jogo como defesa. E atualmente jogo no Gulpilhares.  

Ganhar o campeonato europeu pela seleção Hóquei Feminino foi uma sensação incrível, foi a minha primeira competição pela seleção e o primeiro jogo é sempre significativo para todos nós. Tendo em conta que nós perdemos o primeiro jogo contra a Inglaterra e também foi com este clube que disputamos a final, íamos com receio, mas a partir do momento em que o resultado começou a ser favorável para nós, conseguimos prever a vitória. Foi muito emocionante sermos campeãs.

Os meus agradecimentos vão sobretudo para a minha família por me ter ido lá apoiar e a todos os que me mandaram mensagens de apoio. 

Henrique Vigário

Comecei por ver, desde pequeno, o meu irmão a jogar Hóquei e acabei por começar a gostar da modalidade. Aos quatro anos comecei a praticar este desporto. Já tinha participado no mundial de sub-19 e no Euro hóquei. Jogo como defesa. 

Comecei a jogar no Porto, depois fui jogar para o Fânzeres, porque na altura não havia benjamin no Clube, e voltei para o Porto. Agora estou no Valongo. 

Quando percebemos que eramos campeões Europeus e pegamos na taça foi uma sensação muito especial, um título pelo nosso país tem outro sabor. É um momento para nós inesquecível. Só o facto de estarmos lá já é uma sensação distinta. É um sentimento que não se pode explicar e esperamos que no futuro possamos conseguir competir noutros escalões, pela seleção. 

Gostava de agradecer a todos os que me apoiaram sempre, aos meus pais e aos meus amigos por todo o apoio.

Diogo Lemos

Comecei porque o meu pai é amigo do pai do Henrique Vigário e incentivou o meu a colocar-me nesta modalidade. Levou-me ao Pavilhão Municipal de Fânzeres, aos quatro anos, para aprender e foi assim. Jogo na posição de avançado. 

Joguei no Porto 11 anos e agora estou no Oliveirense. O ano passado participei no Euro de Sub-17 em Nóia. 

A sensação de ganhar o campeonato europeu foi ótima. E, ainda, tivemos um gostinho especial porque jogamos contra a Espanha e ninguém acreditou na nossa vitória e quando ganhamos foi incrível. A nossa união foi o que nos fez ganhar.  Nós tínhamos noção das dificuldades, mas mesmo assim não desistimos, e conseguimos! Foi muito emocionante para nós termos ganho. 

Quero agradecer à minha família por todo o apoio que me dá. Ao meu pai por todos os sacrifícios de me levar a Oliveira e por todos os sacrifícios que faz. Aos meus amigos por me aturarem quando eu preciso. Aos portugueses que nos acompanham neste trajeto. 

José Silva

Comecei a jogar Hóquei com sete anos, tinha um primo que jogava nos séniores e comecei a acompanhar os jogos dele e a ganhar o gosto pelo desporto. 

Sou guarda-redes. Participei este ano pela primeira vez no Europeu pela seleção, mas já joguei dois Euro Hóqueis. Tive seis meses no Valongo e estou agora no Porto há 10 anos. 

A sensação de ganharmos foi inexplicável, principalmente porque jogamos contra a principal rival, que é a Espanha, tínhamos uma clara noção que eles tinham uma equipa mais forte que a nossa, mas nós conseguimos dar a volta e ganhar na união e na raça. Quando pegamos na taça nem conseguimos acreditar no que estava a acontecer é um motivo de orgulho e de muita satisfação. Espero voltar a competir em algo deste calibre, talvez por outros escalões.

Quero agradecer aos meus pais porque eles sacrificam de muita coisa para que eu possa treinar ao máximo. À minha avó que está sempre disponível para me ajudar. Aos meus colegas e aos meus treinadores porque fazem parte do meu caminho e me ajudam a estar onde eu estou. A todos os clubes que já treinei porque fizeram parte da minha evolução. Obrigada a todos. 

O Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Gondomar, José Fernando, não quis deixar passar esta vitória em claro e deixou uma mensagem aos campões europeus: 

Parabéns aos três nossos Gondomarenses pelo título alcançado, é uma alegria e um privilégio termos no concelho jovens que foram um exemplo perfeito de entrega, disciplina e paixão que nos deve nortear em qualquer atividade que desempenhamos, contudo realço a importância destes jovens manterem o foco nos estudos, independentemente do sonho de virem a ter uma carreira Profissional no Hóquei em Patins.  O desporto é fundamental e determinante para uma efetiva alteração de comportamentos que nos permita ter uma comunidade mais ativa e com melhor qualidade de vida. Pretendemos continuar a melhorar e a dotar o nosso concelho de mais e melhores infraestruturas desportivas para que cada vez mais jovens atinjam patamares superiores e disponibilizar a toda a população uma prática desportiva saudável e uma maior qualidade de vida.

Últimas Notícias

As marcas do 25 de Abril e a importância dos 50 anos do fim da ditadura e da conquista da liberdade

22/04/2024

Rancho Regional de Fânzeres celebra 45 anos

22/04/2024

Entrevista a Pinto da Costa

19/04/2024

Entrevista a Nuno Lobo

19/04/2024

Entrevista a André Villas-Boas

19/04/2024

39ª EDIÇÃO DO FETAV COMEÇA A 6 DE ABRIL

2/04/2024

Universidade Sénior de Gondomar já é maior de idade

27/03/2024

CMOS COMEMORA PRIMEIRO ANO E BATE RECORDE NO TEMPO DE DESPACHO DE MEIOS

26/03/2024