Concelho de Gondomar Gondomar (S. Cosme), Valbom e Jovim

Gondomar vai ter academia de Esgrima

A Esgrima chegou a Gondomar através da Associação Recreativa Valboense 1º de Dezembro, que promoveu uma atividade de esgrima com o propósito de mostrar as polivalências desta modalidade. Em conversa com o VivaCidade o Presidente da Associação, António Oliveira, o treinador e responsável pela Esgrima, Nuno Moreira e o Secretário, Armando Duarte, explicam a importância da prática deste desporto e o que marca pela diferença.  As instalações já estão a ser preparadas na cave da Associação devido a serem precisos 15 metros para que consigam realizar os treinos e para facilitar a mobilidade. 

O que vos motivou a trazer esta modalidade para Gondomar? 
Nuno Moreira: Enquanto treinador, caí no mundo do Esgrima de paraquedas, nem sabia que havia 3 armas diferentes na modalidade, mas foi-me na altura proposto um projeto para alavancar um clube de esgrima que existia que estava prestes para acabar. E foi assim que embarquei nesta aventura da esgrima. 

Quando houve o circuito de esgrima notou entusiasmo por parte dos gondomarenses?
Sinceramente não, mas confesso quando estamos envolvidos nas organizações dos eventos estamos mais preocupados com o facto de correr bem. Agora com o começo da época é que vamos começar com o trabalho de divulgação nas escolas e nas redes sociais.  

O objetivo é criar uma academia de esgrima?
Sim. A ideia não é limitar em termos de idade até porque a Esgrima ao contrário de outras modalidadespode ser praticada a qualquer altura da vida. Tenho atualmente 4 atletas. Uma delas que começou com 58 anos, ontem também recebi uma chamada de uma de 64 que também quer praticar. A esgrima não tem idade.

Quando é que vai “abrir”?
O projeto só vai arrancar no início da próxima  época. 

E têm tido alguma procura nesse projeto?
Ainda estamos muito no início, não levo a mal e nem fico descontente que não tenhamos, aliás fiquei muitocontente porque o Município de Gondomar cedeu logo o pavilhão para fazermos o nosso circuito, e isso não é fácil.  

Além do pavilhão, vocês vão ter algum apoio por parte da autarquia ou da Junta de Freguesia?
Isso depois logo vamos ver. Depois de termos o projeto a funcionar e de mostrar que se calhar tem interesse para o concelho esperemos que eles possam ajudar. Até porque argumento de não haver nenhum clube em Gondomar pode influenciar para os conquistarmos com este projeto.


Nesta academia vão existir as três componentes, fluoreto, sabre e espada?
Na primeira fase é só sabre, não por termos mais prática nessa, mas também é que a que tem menos atletas. Era arma que estava muito fechada no exército, eles “não permitiam” que saísse. Não só, em Portugal, mas a nível mundial, por isso é que é uma arma com menos praticantes. A utilização das armas vão estando divididas um bocado por todo o país. A norte é essencialmente o fluoreto, no Sul mais a espada, o sabre está espalhado por toda a parte, mas tem menos participantes.

O que é que pode fazer uma pessoa se interessar por esta modalidade?
A espetacularidade do jogo e a rapidez.  

É uma modalidade segura?
Sim, completamente segura, mas os atletas têm de perceber as motivações de certas coisas e respeitá-las. Antes de iniciar a prova, antes de começar a prova propriamente dita os atletas têm de tirar a espada da frente um do outro, porque se não o fizessem podiam ser apanhados desprevenidos e já tinham “ido à vida”.

Consideram um desporto elite?
Não acho que seja um desporto elite, existe realmente. essa ideia pré-concebida que é um desporto elite, mas não corresponde à realidade. 

A nível de equipamento já têm disponível para quem queira vir experimentar ou praticar esta modalidade?

Não, em breve teremos. Nós estamos a preparar a sala primeiro. Contudo quando houver equipamento também teremos disponível só para as pessoas que queiram experimentar. Estamos a falar de um equipamento com um valor avultado, cerca de 400 euros, e que é um investimento, por isso quem vier e quiser comprar o equipamento terá de ter a certeza que quer mesmo continuar na modalidade. Deixo sempre a ressalva que este equipamento dura cerca de quatros, até necessitar de troca. 

Para finalizar, quem quiser vir conhecer este projeto e fazer parte dele como entra em contacto com vocês?
Através das redes sociais : 1º de Dezembro – Associação Recreativa Valboense ou deslocarem-se até à nossa sede. 

Últimas Notícias

As marcas do 25 de Abril e a importância dos 50 anos do fim da ditadura e da conquista da liberdade

22/04/2024

Rancho Regional de Fânzeres celebra 45 anos

22/04/2024

Entrevista a Pinto da Costa

19/04/2024

Entrevista a Nuno Lobo

19/04/2024

Entrevista a André Villas-Boas

19/04/2024

39ª EDIÇÃO DO FETAV COMEÇA A 6 DE ABRIL

2/04/2024

Universidade Sénior de Gondomar já é maior de idade

27/03/2024

CMOS COMEMORA PRIMEIRO ANO E BATE RECORDE NO TEMPO DE DESPACHO DE MEIOS

26/03/2024