Concelho de Gondomar Destaque Gondomar (S. Cosme), Valbom e Jovim

Animais Abandonados: que fazer?

Infelizmente, todos já nos deparamos com a situação de ver um animal perdido na via pública, e nos questionamos sobre o que fazer.
No verão, pela triste problemática do abandono animal em período de férias, isto torna-se ainda mais frequente. Junta-se ainda a proliferação de algumas colónias de animais errantes (gatos e cães), que proliferam na rua, e vão vivendo com pouca ou nenhuma dignidade, aproximando-se das populações na busca de alimento e, alguns, na busca do carinho que nunca tiveram.

Que fazer se nos deparamos com o um cão/ gato, na rua?

O primeiro conselho é o de não ficar indiferente!! Sabemos que são cada vez mais os animais na via pública, o que pode levar a uma indiferença da nossa parte, que pode resultar trágica para muitos animais. Recordo que existem animais que sempre viveram na rua (gatos, principalmente), encontrando-se relativamente bem adaptados a esse estilo de vida, mas existem também animais que fugiram/ foram abandonados. Estes têm uma probabilidade muito menor de sobreviver na rua, por várias razões, mas principalmente por desconhecerem os pontos habituais de alimentação dos grupos, grupos esses que normalmente os afastam, pela competição pelo alimento, zonas de abrigo, e questões reprodutivas.

O cão que viu hoje ao sair do trabalho pode ter uma família desesperada à sua procura. Esperamos que nunca tenha de passar pela dor de ver desaparecer um animal seu L

Ao encontrar um animal, deve:

  • Procurar reconhecer sinais de ferimentos óbvios que possam colocar em risco a vida do animal (feridas abertas, fraturas expostas, animal inconsciente ou com dificuldades respiratórias). Se se deparar com tal situação, deve contactar e levar o animal imediatamente a uma clínica ou hospital veterinário;
  • Caso o animal se encontre estável, deve procurar acionar os mecanismos legais disponíveis, para se verificar se tem identificação eletrónica (microchip), que consiste em contactar o Centro de Recolha Animal mais próximo (CROAG, no caso de Gondomar). Caso este não dê resposta, deve contactar a polícia local (GNR ou PSP).
  • Se ambos se recusarem a ajudar, pelo menos a ver se o animal tem microchip (não deveria acontecer), devem levar o animal a uma clínica ou hospital veterinário, para verificar se tem microchip;
  • Caso tenha microchip, óptimas notícias!
  • Caso não tenha, este deve ser entregue no Centro de Recolha Oficial mais próximo ou, caso estes não tenham condições logísticas de o receber, deve permanecer numa família de acolhimento temporário, até aparecerem os tutores ou, caso não tenha ou nunca apareçam, possa ser adoptado.
  • Entretanto deve ser publicado que o animal foi encontrado (www.encontra-me.org, por exemplo). Temos todo o gosto em fazer essas partilhas nas nossas redes sociais da clínica!

Os animais são família e sofrem. Peça ajuda se não tem condições para os manter. Nada desculpa um abandono!

Gonçalo Lixa (Médico Veterinário, Clínica Veterinária do Taralhão)

Últimas Notícias

39ª EDIÇÃO DO FETAV COMEÇA A 6 DE ABRIL

2/04/2024

Universidade Sénior de Gondomar já é maior de idade

27/03/2024

CMOS COMEMORA PRIMEIRO ANO E BATE RECORDE NO TEMPO DE DESPACHO DE MEIOS

26/03/2024

EUROBOL TRAZ A GONDOMAR VÁRIAS EQUIPAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

26/03/2024

Walking Football um desporto que combate o isolamento

26/03/2024

RAMMWERK: TRIBUTO À BANDA RAMMSTEIN

25/03/2024

RALI DE GONDOMAR REGRESSA NO PRÓXIMO MÊS

25/03/2024

Câmara de Gondomar tomou posse do Cemitério da Triana

13/03/2024